Filiada à:
 
Estatuto e Regimento
 
 
   
   
Clique aqui e veja o estatuto Clique aqui e veja o Regimento
   
 
 
Estatuto
 
ESTATUTO SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA
REGIONAL GOIÁS
SBOT-GO
CAPÍTULO I
DA DENOMINAÇÃO, DURAÇÃO, SEDE E FINS
Art.1º - A SOCIEDADE BRASILEIRA DE ORTOPEDIA E TRAUMATOLOGIA – REGIONAL GOIÀS, com a sigla SBOT-GO, é uma associação, dotada de personalidade jurídica e de direito privado, sem fins lucrativos e econômicos com sede e foro na capital do Estado de Goiás, na Rua do Tritão S/N Qd. 10 Lt. 29, Jardim Atlântico, Goiânia, Goiás, CEP 74343-570, com duração por prazo indeterminado, sendo a entidade representativa constituída por número ilimitado de médicos, especializados em ortopedia e traumatologia, sem distinção de cor, sexo, nacionalidade, credo religioso ou político, admitidos na forma deste estatuto, gerada por seu estatuto social e pelos seus regimentos internos. CAPÍTULO II – DOS OBJETIVOS
Art. 2 º - SBOT-GO tem por finalidades especificas:
  •  - Congregar os especialistas em Ortopedia e Traumatologia do Estado de Goiás e prestigiar este ramo de medicina, defendendo os legítimos direitos dos que o exercem;
  •  - Apresentar sugestões aos poderes públicos, cooperados também com outras instituições congêneres, para a solução das questões, profissionais, sociais e educacionais:
  • – Promover e prover condições para a atualização permanente, sob a forma de ensino, pesquisa, educação continuada e defesa profissional.
  • – Representar o Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Associação Médica de Goiás.
  • – Representar a Regional de Goiás da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.
  • Pleitear junto aos Serviços Públicos Federais, Estaduais, Municipais e Autárquicos que só admitam ou credenciem para as funções de Traumato-Ortopedista, os Membros Titulares que possuam a qualificação de especialistas em Ortopedia e Traumatologia fornecida pela SBOT-GO.  
Parágrafo Único – Para cumprir seu propósito SBOT-GO atuará por meio de doação de recursos físicos, humanos e financeiros.
Art. 3º - SBOT-GO poderá adotar um Regimento Interno, aprovado pela Diretoria.
Art. 4º - SBOT-GO não se envolverá em questões político-partidárias, campanhas eleitorais ou quaisquer outras que não coincidem com seus objetivos que regem o estatuto.
CAPÍTULO III – DOS ASSOCIADOS, SEUS DIREITOS E DEVERES. Art. 5º - SBOT-GO é constituída por número ilimitado de associados, que compartilham os mesmos objetivos e princípios da SBOT-GO. São distribuídos nas seguintes categorias:
  • Associados fundadores: Aqueles que participaram da Assembléia de constituição da associação, assinado a respectiva ata e comprometendo-se com as suas finalidades;
  • Associados titulares: Os profissionais de nível universitário a Ortopedia, Oficialmente habilitado para o exercício da profissão no país e ter sido aprovada no exame para a obtenção do titulo especialista na área Ortopedia e Traumatologia realizada pela SBOT-GO e exercer profissão no Estado de Goiás.
  • Associados comuns: Aqueles oficialmente habilitados para o exercício da profissão, ser formado há pelo menos 10 (dez) anos e exercer exclusivamente Ortopedia e Traumatologia e que exerce profissão no Estado de Goiás.
Parágrafo primeiro – A filiação será aprovada pela Diretoria
Parágrafo segundo -  Os associados, independentemente da categoria, não respondem subsidiariamente pelas obrigações da associação, não podendo falar em seu nome, salvo se expressamente autorizado pela Diretoria.
Art. 6º - São direitos dos associados:
  • – Receber o diploma da associação;
  • – Frequentar a sede social, participar das reuniões, dos congressos e utilizar-se dos serviços mantidos pela Associação;
  • – Votar e ser votado para cargos de direção, desde que sejam associados Titulares;
  • – Ficar isento do pagamento da anuidade à Associação de acordo com os critérios do Regimento Geral;
  • – Solicitar demissão do quadro social, mediante justificativa encaminhada ao Presidente.
Art. 7º - São deveres dos Associados:
  • Pagar as anuidades
  • Comparecer regularmente as Assembléias Gerais, reuniões e aos congressos da Associação.
  • Cumprir as disposições estatutárias e regimentais;
  • Acatar as decisões da Assembléia Geral;
  • Zelar pelo bom nome e fiel cumprimento dos objetivos da associação;
  • Preservar, Zelar, melhorar a imagem da associação;
  • Acatar normas estabelecidas pela Diretoria;
Art. 8º - Poderá se excluído da SBOT-GO:
  • Havendo justa causa, o associado que descumprir o presente estatuto ou regimento, interno praticando qualquer ato contraria ao mesmo;
  • Que peçam por escrito sua demissão;
  • Que tenham deixado de efetuar o pagamento das anuidades por um período de 02 (dois) anos consecutivos ou não, podendo ser reintegrado, em qualquer tempo, mediante o pagamento dos seus débitos atualizados;
  • Deixar de residir no Estado de Goiás.
Parágrafo primeiro – A decisão de exclusão de associados será tomada pela maioria simples dos membros da Diretoria.
Parágrafo segundo – Da decisão da Diretoria de exclusão do associado caberá simples recurso à Assembléia Geral.
CAPÍTULO lV – DOS ÓRGÃOS DA ASSOCIAÇÃO
Art. 9º - SBOT-GO é composta pelos seguintes órgãos diretivos:
  • Assembléia Geral;
  • Diretoria Executiva
  • Conselho fiscal.
Seção I – ASSEMBLÉIA GERAL
Art. 10º - A Assembléia Geral é o órgão soberano da associação, e se constituirá pelos associados fundadores, associados titulares e associados comuns em pleno gozo de seus direitos estatutários.
Art. 11º - Compete privativamente à Assembléia Geral;
  • Eleger a Diretoria e conselho fiscal;
  • Destituir os membros da Diretoria e do conselho fiscal;
  • Alterar o presente Estatuto e o Regimento Interno;
  • Deliberar sobre a extinção da associação;
  • Elaborar o planejamento estratégico anual e os objetivos;
  • Aprovar as contas.
Art. 12º - A assembléia Geral reunir-se-á, ordinariamente, uma vez por ano, no último trimestre de cada ano, e, extraordinariamente, sempre que necessário.
Art. 13º - A convocação da Assembléia Geral será feita por meio de edital afixado na sede da Associação, e/ou em circular aos associados e/ou por email, e/ou em jornal de grande circulação com antecedência mínima de 15 dias.
Parágrafo único – Assembléia Geral instalar-se-á em primeira convocação com a maioria absoluta dos associados presentes e, em segunda convocação, meia hora depois, com qualquer número de associados.
Art. 14º - Todas as deliberações da ASSEMBLÉIA GERAL serão aprovadas pela maioria simples de votos dos associados presentes.
Parágrafo único – Para das deliberações referentes ás alterações estatutárias, destituição de membros da Diretoria e do Conselho Fiscal e dissolução da associação, exige-se o voto de 2/3 (dois terços) dor presentes à Assembléia especialmente convocada para esse fim, podendo a assembléia deliberar, em primeira convocação, com a presença de maioria absoluta dos associados, ou com qualquer número de associados nas convocações seguintes.
Art. 15º - As Assembléias Gerais serão convocadas pelo Presidente da Diretoria, garantindo a 1/5 (um quinto) dos associados o direito de promovê-la.
Art. 16º - Também compete a assembléia geral:
  • Elaborar políticas de trabalho que preservem o interesse comum entre todos os associados:
  • Acompanhar a prestação de contas da associação:
  • Elaborar contratos de parceiras com outras entidades, órgãos organizações nacionais e internacionais e empresas.
Seção II – DA DIRETORIA EXECULTIVA
Art. 17º - A diretoria tem por função e competência traçar as diretrizes políticas e técnicas da associação, deliberar sobre novos projetos e áreas de atuação e acompanhar o desempenho dos projetos em andamento.
Art. 18º - A Diretoria Executiva reunir-se-á sempre que necessário, mediante convocação de seu presidente, será composta por Presidente, Vice-Presidente, Primeiro secretário, Segundo Secretário, Primeiro Tesoureiro, Segundo Tesoureiro e que terão o mandato de dois anos, admitindo-se a reeleição para o mesmo cargo, exceto o presidente que poderá ser reeleito por apenas um período consecutivo.
Art. 19º - Compete a Diretoria:
  • Representar, divulgar, fazer contatos e parceiras;
  • Elaborar e cobrar relatórios das atividades realizadas pelos conselhos;
  • Elaborar contrato de parceiras
  • Elaborar pautas discutidas e redigidas nas ocasiões das reuniões.
Art. 20º - Compete ao Presidente?
  • Representar a Associação ativa e passivamente, em juízo ou fora dele;
  • Convocar e presidir as Assembléias Gerais;
  • Outorgar procuração em nome da associação, estabelecendo poderes e prazos de validade.
  • Exigir a aplicação das normas estatutárias e regimentares;
  • Assinar os contratos, ajustes e acordos aprovados;
  • Ordenar empenho de despesas na forma prescrita em Lei, solicitar abertura de créditos financeiros, conta bancária, assinarem cheques e movimentar as contas bancárias juntamente com o Primeiro Tesoureiro;
  • Contratar, punir e dispensar empregados;
  • Decidir com seu voto os casos de empate na deliberação da Diretoria.
Art. 21º - Compete ao Vice-Presidente:
  • Auxiliar o Presidente em suas atribuições;
  • Substituir o Presidente em suas faltas ou impedimentos, assumir o mandato, em caso de vacância, ate seu término.
Art. 22º - Compete ao primeiro secretário:
  • Secretariar as reuniões da Diretoria e da Assembléia Geral e redigir as Altas;
  • Publicar todas as noticias das atividades da SBOT-GO caso precise;
  • Organizar, Superintender Distribuir e fiscalizar os serviços da secretaria, disciplinando-os convenientemente invocando quando necessário, a participação efetiva do segundo secretario
  • Responder pela Presidência, SBOT-GO, na falta do presidente e do vice-presidente, quando expressamente autorizado.
Art. 23º - Compete ao Segundo Secretário:
  • Substituir o 1º secretário em seu impedimento temporário ou definitivamente;
  • Auxiliar o Primeiro Secretário quando solicitado.
Art. 24º - Compete ao primeiro tesoureiro:
  • Zelar pela arrecadação dos fundos SBOT-GO, depositando-os em banco escolhido pela diretoria;
  • Emitir cheques necessários à movimentação bancária, assinando-os conjuntamente com o presidente;
  • Apresentar o balancete mensal e anual a Diretoria;
  • Dirigir a tesouraria mantendo em dia a escrituração e o movimento diário;
  • Registrar todos os movimentos de despesas e receitas;
  • Assinar em conjunto com o presidente, os balancetes mensais, e relatórios anuais.
Art. 25º - Compete ao Segundo Tesoureiro:
  • Substituir o primeiro Tesoureiro em seu impedimento temporariamente ou definitivamente;
  • Auxiliar o Primeiro Tesoureiro quando solicitado.
CAPÍTULO V Seção III – CONSELHO FISCAL
Art. 26º - O conselho fiscal é o órgão responsável por fiscalizar a administração da associação. Será composto por 06 (seis) membros, eleitos pela Assembléia Geral, sendo efetivos 03 ( três) efetivos e 03 (três) suplentes, com mandato de dois anos.
Art. 27º - Compete ao Conselho Fiscal:
  • Opinar sobre os balanços e relatórios de desempenho financeiro e contábil  sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para os organismos superiores da associação;
  • Requisitar a Diretoria a qualquer tempo, documento comprobatório das operações econômicas financeiras realizadas pela associação.
CAPÍTULO  VI
Da competência dos Departamentos
Art. 28º -  Os departamentos são órgãos auxiliares da Diretoria, dirigidos por Coordenadores ( quando se julgar necessário), de livre escolha do Presidente, e necessários ao funcionamento SBOT-GO, neste ato foram criados os seguintes Departamentos:
  • Departamento de Eventos Sociais;
  • Departamento de Congressos.
Art. 29º - Poderá a critério da Diretoria, ser criados novos departamentos para atender as necessidades da SBOT-GO, procedendo à alteração deste estatuto com aprovação da Assembléia.  
Art. 30º - Departamento de Eventos Sociais;
  • Promoverá realização de cursos, palestras, conferências, seminários e encontros de caráter cultural para os associados e convidados.
Art. 31º - Compete ao Departamento de Congressos:
  • Realização de congresso geral, denominando Congresso Goiano de Ortopedia e Traumatologia;
Art. 32º - Todos os departamentos obedecerão e cumprirão Goiano da Diretoria.
CAPÍTULO VII Seção IV – DOS COORDENADORES DE DEPARTAMENTOS
Art. 33º - Compete aos coordenadores de Departamentos:
  • – Dirigir ao Departamento, no sentido de alcançar os seus objetivos;
  •  - Solicitar a cooperação da Diretoria e dos membros associados para divulgarem e conseguirem os objetivos;
  • Representar ao Departamento todos os trabalhos e projetos nas reuniões da Diretoria;
  • Acatar regulamento aprovado pela diretoria para atuação do departamento;
  • Assessorar a presidência no que for solicitado.
Art. 34º - Os Coordenadores de Departamento não tem poder de deliberação não reuniões de Diretoria.
CAPÍTULO VIII
DOS ORGÃOS OFICIAIS DE PUBLICAÇÃO E DIVULGAÇÃO
Art. 35º - Os órgãos de publicação e divulgação da sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Regional de Goiás é a revista SBOT-GO e a página da internet.
Parágrafo único: A constituição e diretrizes de atuação desses órgãos estão definidas no Regimento Geral. CAPÍTULO IX – DAS FONTES DE RECURSOS Art. 36º - Constituem fontes de recursos SBOT-GO:
  • As doações e dotações, legados, heranças, subsídios e quaisquer auxílios que lhe forem concedidas por pessoas físicas ou jurídicas, de direito privado ou de direito publico, simpatizantes com SBOT-GO, nacionais ou estrangeiras, bem como os rendimentos produzidos por esses bens;
  • As receitas provenientes dos serviços prestados, da venda  de publicações, bem como receitas patrimoniais;
  • Receita proveniente de contratos, convênios e termos de parceiras celebradas com pessoas físicas e jurídicas, de direito público ou privado;
  • Rendimentos financeiros e outras rendas eventuais;
  • As anuidades pagas pelos membros, a serem repassadas proporcionalmente pela Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia;
  • O saldo obtido com a realização de congressos e jornadas.
CAPITULO X – DO PATRIMÔNIO Art. 37º - O patrimônio SBOT-GO será constituído por bens móveis e imóveis, veículos, semoventes, ações e títulos de divida política.
Art. 38º - Em caso de dissolução da entidade, o respectivo patrimônio liquida reverterá em benefício de uma instituição congênere, devidamente registrada no Conselho Nacional de Assistência Social.
CAPITULO XI – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 39º - SBOT-GO aplicará suas rendas, seus recursos e eventual resultado operacional integralmente no território nacional e na manutenção e no desenvolvimento de seus objetivos institucionais.
Art. 40º - Não recebendo seus diretores, conselheiros, associados, nenhum benefícios direto ou indiretamente, por qualquer forma ou titulo, em razão das competências, funções ou atividades que lhes sejam atribuídas pelos respectivos atos constitutivos.
Art. 38º - Este estatuto entrará em vigor na data de sua aprovação em Assembléia Geral e averbado no 1º Tabelionato de protesto e Registros de Pessoas Jurídicas, títulos e Documentos de Goiânia. Goiânia, 03 de dezembro de 2010.
Paulo Silva
Presidente
Advogado

 

 
Regimento Interno
 
Regimento Geral da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia – Regional Goiás SBOT-GO
CAPITULO I
TÍTULO, FINALIDADES, SEDE E ORGANIZAÇÃO.
Art. 1º - Este Regimento Geral regula o funcionamento da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Regional Goiás – SBOT-GO, de acordo com a composição, atividade e a competência fixadas no Estatuto da Associação.
Parágrafo Único – Compete a diretoria e aos 5 (cinco) últimos ex-presidentes da SBOT-GO a aprovação deste regimento Geral, e de suas alterações, quando necessárias.
Art. 2 – A SBOT-GO é uma Associação Regional da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia, unidade conveniada da Associação Médica Brasileira- AMB.
Parágrafo primeiro- Os assuntos omissos e contraditórios no Estatuto e no regimento da SBOT-GO deverão ser tratados como subsídio no Estatuto e Regimento na SBOT Nacional.
Parágrafo Segundo –A SBOT-GO será representada na Comissão Executiva da SBOT Nacional por seu presidente e seus delegados, em conformidade com o art. 25 do regimento da SBOT Nacional.
CAPÍTULO II
DOS SÓCIOS
Art. 3º - São considerados membros titulares da SBOT-GO aqueles admitidos até 2004 nesta categoria e todos os médicos aprovados no exame para Obtenção do título de Especialista realizado pela SBOT, nos termos do art. 4º. Do estatuto e que exerçam a profissão no Estado de Goiás.
Art. 4º - São membros associados, aqueles admitidos na categoria até 2002, que não possuem o titulo de especialista.
Parágrafo Ùnico -Os membros associados, quites com tesouraria, poderão migrar para categoria de membros titulares, desde que atendam ao disposto no artigo 3º deste regimento.
Art. 5º - São direito do membro titular quite com a tesouraria, além daqueles mencionados no art.5º§ 1º, ”a” “b” e “c”, “d” “e” do Estatuto, bem como Membro Associado.
  1. Ficar isento do pagamento da anuidade da SBOT, quando completar 35 ( trinta e cinco) anos de contribuição;
  2. Afastar-se temporariamente da Associação, mediante solicitação da comissão Executiva e devida, nas seguintes condições:
a) -Em caso de doença;
     b) -Quando deixar de exercer a profissão;
     c) -Quando permanecer 1 (um) ou mais anos em pais estrangeiro;
     d) -Em caso de aposentadoria;
Art. 6º - As penalidades aos sócios, nos termos do art. 36º 37 º 38º 39º 40º do Estatuto, relacionados ao grau da falta cometida, não tem relação sequencial e são as seguintes:
  1. Advertência- de natureza moral, por expediente reservado;
  2. Suspensão- em caso de falta grave, o associado tem seus direitos suspensos por ate 30 (trinta dias), e tem ciência por expediente ou pela empresa;
  3. Expulsão- pena máxima, em que o associado é afastado definitivamente do quadro social, e tem ciência por expediente ou pela imprensa.
Art.7º - O Processo Disciplinar, nos termos do art. 36º 37 º 38º 39º 40º do Estatuto, compreende:
  1. O protocolo da denúncia é formalizado na secretaria geral da SBOT;
  2. Encaminhamento dos fatos a Comissão de Ética Médica, para análise e verificação de provas apresentados e emissão de parecer conclusivo;
  3. Encaminhamento de expediente a diretoria para proposição de penalidade;
  4. Encaminhamento de expediente à comissão Executiva para a aplicação da penalidade.
§ 1º - A pena de expulsão suspende as atividades do indicado, até a análise e referendo pela Assembleia Ordinária.
§ 2º - Diante dos indícios de infração do código de Ética Médica, a Diretoria da SBOT denunciará o fato ao Conselho Regional de Medicina respectivo.
CAPITULO III
DOS ORGÃOS DIRIGENTES
SEÇÃO I
DA ASSEMBLÉIA GERAL:
Art. 8 – Compete à Assémbleia Geral Ordinária, nos termos do art. 9 do Estatuto:
  1. Aprovar a ata da última Assembléia
  2. Expediente;
  3. Apreciar o Relatório do 1º Secretário;
  4. Apreciar o balancete da tesouraria;
  5. Apreciar o parecer do conselho fiscal;
  6. Eleger a nova diretoria;
  7. Eleger o conselho fiscal;
  8. Eleger os delegados;
  9. Deliberar sobre assuntos de natureza diversa;
Art. 9 – A Assembléia Geral será convocada Extraordinariamente, nos termos do art. 10 e parágrafos do Estatuto, após solicitação por escrito ao Presidente da Diretoria, ou membros da Comissão Executiva, através da Secretaria Geral, por meio de correspondência dirigida a todos os sócios, com antecedência mínima de 30 (trinta) dias.
Art. 10 – Para a convocação da Assembleia Geral é necessário:
  1. A anuência do Presidente da Diretoria;
  2. A anuência da maioria dos membros da Diretoria;
  3. A anuência de 1/5 (um quinto) dos membros da Associação;
SEÇÃO II
DA DIRETORIA
Art. 11- A composição da Diretoria e as atribuições de seus membros estão dispostas nos art. 11 a 18 do Estatuto.
Parágrafo Único - O mandato da Diretoria é de 02 (dois) anos e acompanha o ano fiscal.
Art. 12 – As eleições se realizarão bi-anualmente, durante a Assembléia Geral Ordinária.
§ 1º - A diretoria e completa e eleita com 02 (dois) anos de antecedência, pelo voto direito e secreto de seus membros titulares;
§ 2º -   Votarão todos os membros titulares em pleno gozo dos seus direitos, de acordo com alista dos sócios quites com a tesouraria;
§ 3º - Será adotado o sistema de voto majoritário;
§ 4º - Será permitido o voto por correspondência;
§ 5º - O Presidente eleito ocupara o cargo do 1º Vice-Presidente nos 02 (dois) que antecedem seu mandato;
§ 6º - O 1º Secretario e 01 (um) dos tesoureiros deverão ter domicílio na cidade sede da SBOT-GO
Art. 13 – As chapas dos candidatos aos cargos eletivos da Diretoria deverão ser inscritas na Secretaria Geral da SBOT, até 60 (sessenta) dias antes da data da eleição;
Parágrafo Único – De posse das inscrições o 1º Secretário organizará a lista das chapas por ordem numérica da inscrição, as quais serão fixadas no recinto da eleição.
Art. 14º - Os candidatos aos cargos do conselho fiscal deverão inscrever-se na Secretaria Geral da SBOT-GO, até 30 (trinta) dias antes da data da eleição.
Parágrafo Único – De posse das inscrições o 1º secretário organizará a lista por ordem numérica de inscrição, a qual fará parte de uma cédula eleitoral e será de cada chapa.
Art. 15º - O processo Eleitoral será acompanhado por uma comissão eleitoralcomposta pelo 1º Secretário que a presidirá, pelo 1º Tesoureiro e por um membro de cada chapa.
§ 1º - A comissão eleitoral indicara 3 (três) membro titulares para compor a comissão apuradora, garantindo ainda a presença de um representante para cada chapa concorrente no acompanhamento de suas atividades;
§ 2º - A comissão eleitoral solicitará a SBOT a lista dos sócios titulares quites com a tesouraria.
§ 3º - Os sócios não quites não poderão votar e serem votados.
§ 4º - A sessão eleitoral terá os seus trabalhos iniciados às 8 horas com encerramento às 17 horas.
§ 5º - Encerrada a votação, a Comissão Apuradora fará a contagem pública dos votos e, após o término da mesma, informará a Comissão Eleitoral o resultado do escrutínio.
§ 6º - A comissão eleitoral declarará vencedora a comissão que tiver o maior número de votos válidos, sendo o resultado registrado em Ata lavrada e assinada pela comissão Eleitoral.
§ 7º - Em caso de empate, será considerada eleita a chapa cujo presidente seja o sócio mais antigo e, em última instância, a chapa cujo sócio seja o de maior idade.
§ 8º - Serão nulas as cédulas de votação que estiverem rasuradas;
§ 9º - Em relação ao conselho fiscal, o processo similar respeita ao estabelecido no art. 24 do Estatuto da Social;
§ 10º -             Os casos omissos neste Capìtulo do Regimento serão resolvidos pela comissão Eleitoral, “ad referendum” da Diretoria;
Art. 16º - A Diretoria da SBOT-GO poderá firmar convênios de interesse geral com entidades congêneres, privadas e pública, “ad referendum” da Diretoria da comissão Executiva.
Art. 17º - A eleição dos delegados da SBOT-GO na comissão executiva da SBOT seguira orientações do Art. 25º do Regimento do Estatuto de SBOT e seus parágrafos. 
CAPITULO IV
DAS COMISSÕES
Art. 18º – As comissões Permanentes, relacionadas no art.19º e parágrafos do Estatuto, deverão desenvolver suas atividades baseadas num Regimento Interno próprio, referendado pela Diretoria. São elas:
  1. Comissão de Ética, Defesa Profissional e Honorários Médicos, tem por finalidade zelar pelo interesse profissional e comportamental ético dos sócios. Essa comissão é composta por 15 (quinze) membros distribuídos por 03 (três) subcomissões.
  2. Subcomissão de ética;
  3. Subcomissão de Defesa Profissional;
  4. Subcomissão de Honorários médicos
§ 1º)A comissão é presidida por membro titular indicado pelo Presidente da Diretoria e aprovado pela Diretoria Executiva com mandato de dois anos, podendo ser reconduzido.
§ 2º)Cada subcomissão é composta por cinco membros titulares com mandato de dois anos, sendo indicado pelo Presidente da Diretoria e aprovado pela Diretoria Executiva podendo ser reconduzidos.
§ 3º) Comissão Cientifica, tem por finalidade auxiliar a Diretoria na elaboração e execução das atividades científicas da SBOT-GO. Será composta de 22 membros indicados pelo Presidente com mandato de 02 (dois) anos.
§ 4º) Comissão de Publicação e Divulgação, responsável pela divulgação de assuntos gerais e científicos da associação, será composta de 05 (cinco) membros natos, a saber:
  1. Presidente da diretoria
  2. Primeiro Secretario da Diretoria
  3. Primeiro Tesoureiro da Diretoria
  4. Vice Presidente da Diretoria
  5. O Editor Chefe da Revista SBOT-GO
§ 5º)As comissões transitórias serão indicados pelo presidente e referendadas pela diretoria Executiva e seus mandatos se encerram com os da Diretoria ou a qualquer tempo, após cumprirem as missões pelas quais foram designados.
§ 6º)-Comissão de congressos,  responsável pela formação da grade científica do congresso Goiano de Ortopedia e Traumatologia, além de assessorar o Presidente do Congresso no cerimonial do evento. Será composta pelo Presidente do Congresso Goiano de Ortopedia e Traumatologia.
CAPITULO V
DOS ÓRGÃOS OFICIAIS DE PUBLICAÇÃO E DIVULGAÇÃO
Art. 19º - Os órgãos oficiais de publicação e divulgação da SBOT-GO estão relacionados no art. 22 do a Estatuto.
Art. 20º - A Revista SBOT-GO, órgão de divulgação da associação e dirigida por um Conselho Editorial composto por cinco membros titulares com mandato de dois anos podendo serem reconduzidos uma vez. São indicados pelo Presidente e aprovados pela Diretoria Executiva.
Art. 21º - A página da Internet, órgão de caráter nacional e oficial para divulgação das atividades, opiniões e diretrizes da SBOT-GO          e de seus membros, é composta de dois membros indicadores pelo Presidente e coordenada pela Diretoria Executiva.
CAPITULO VI
DO CONSELHO FISCAL
Art. 22º - As atribuições e processo eleitoral do conselho fiscal estão discriminados nos artigos 23,24 ,25 3 26 e parágrafos do Estatuto, e nos artigos 14 e parágrafo e artigo 15 parágrafos nono e décimo deste Regimento Geral. CAPITULO VII
DOS CONGRESSOS
Art. 23º - A SBOT-GO realizará um congresso, bi-anualmente, de caráter regional nos termos do art. 27º do Estatuto.
Parágrafo Único A sede do Congresso será sempre a cidade de Goiânia e se realizará a cada dois anos em data a ser definida pela Diretoria Executiva.
Art. 24º - A receita, assim como toda a contabilidade do Congresso Goiano será de inteira responsabilidade da Diretoria.
Parágrafo Único – Caberá a tesouraria da SBOT-GO o controle da contabilidade do congresso Goiano. CAPITULO VIII
DA RECEITA E DAS DESPESAS
Art. 25º -A constituição da receita e despesas da SBOT-GO estão definidas nos artigos 28, 29 e 30 do Estatuto. Goiânia,03 de Dezembro de 2010
Dr. Paulo Silva
Presidente
 
 
 
 
 
 
 

Rua do Tritão, Quadra 10, Lote 29, Jardim Atlântico - CEP 74343-570 Goiânia-GO - Fone (62) 3251-0129 - sbotgo@sbotgo.org.br